MANTRA DA FELICIDADE: "Loka Samasta Sukhino Bhavantu"

MANTRA DA FELICIDADE: "Loka Samasta Sukhino  Bhavantu"
Que todos os seres sejam felizes e bem aventurados.Este mantra fala sobre a felicidade, e faz com que a gente reflita sobre isso : todos merecem a felicidade, viver na sua plenitude, celebrar e simplesmente ser... cada um nasceu para ser feliz, portanto, vamos cumprir o nosso destino!

terça-feira, 24 de maio de 2011

10 SUGESTÕES PARA UMA VIDA MAIS LEVE


1°Não se preocupe.
De todas as atividades humanas,
preocupar-se, é a menos produtiva.

2° Não se deixe dominar pelo medo.
A maior parte das coisas que tememos nunca acontecem. 

3° Não guarde rancor.
Ele é uma das cargas mais pesadas da vida.

4° Enfrente um problema de cada vez.
5° Não leve os problemas
para a cama.
São maus companheiros
do sono.

6° Não compre os problemas
dos outros.
Eles podem lidar com eles melhor do que você.

7° Não reviva
o passado.
Ele já passou. Concentre-se no que se passa na tua vida
e seja feliz agora.

8° Seja um
bom ouvinte.
Só quando escutar, obterás idéias diferentes das tuas.

9°Não se deixe abater pela  frustração.
A autocompaixão só interfere com as ações positivas.

10°Contabilize todas as coisas boas.
Mas não esqueça as pequenas.
Muitas coisas boas pequenas,fazem uma grande!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

DE BEM COM A VIDA


 
"Tô me afastando de tudo que me atrasa, me engana, me segura e me retém. Tô me aproximando de tudo que me faz completo, me faz feliz e que me quer bem. Tô aproveitando tudo de bom que essa nossa vida tem. Tô me dedicando de verdade pra agradar um outro alguém. Tô trazendo pra perto de mim quem eu gosto e quem gosta de mim também. Ultim...amente eu só tô querendo ver o ‘bom’ que todo mundo tem. Relaxa, respira, se irritar é bom pra quem? Supera, suporta, entenda: isento de problemas eu não conheço ninguém. Queira viver, viver melhor, viver sorrindo e até os cem. Tô feliz, to despreocupado, com a vida eu to de bem."
(Caio Fernando Abreu)
 
VIVER  É OCUPAR O TEMPO COM COISAS BOAS As novas descobertas cientificas permitirão que  o homem possa viver mais de 100 anos.
É importante que se aprenda a viver bem.
Já imaginou que tédio? 100 anos neste mundo e não aprender a ser feliz?
É tempo suficiente para descobrir aquilo que faz ou não bem para nossa saúde física e mental.
Comece a monitorar suas emoções e ao descobrir o que realmente é bom, saudável e traz sensação de felicidade, comece a repetir e seja um professor de felicidade.
Viva um dia de cada vez, viva o melhor que puder e seja eternamente jovem.
 

sábado, 21 de maio de 2011

IRMÃ DULCE, UM EXEMPLO

 
Amanhã 22 demaio de 2011,Irmã Dulce se torna beata. Um exemplo de ser humano a ser seguido,nos lembrando que não precisa ser religioso, ou ter dinheiro,ou qualquer outra coisa para ajudar ao próximo e lutar pelos direitos das pessoas necessitadas,assim como Madre Teresa de Cacultá, passou a vida fazendo o bem, e olhando pelo próximo,um exemplo de amor e dedicação ao seu semelhante.
 
Irmã Dulce, que ao nascer recebeu o nome de Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, era filha do dentista Augusto Lopes Pontes e de Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes. Aos 13 anos, depois de visitar áreas carentes, acompanhada por uma tia, ela começou a manifestar o desejo de se dedicar à vida religiosa.
Com o consentimento da família e o apoio da irmã Dulcinha, foi transformando a casa da família num centro de atendimento a pessoas necessitadas.
Em 8 de fevereiro de 1933, logo após se formar professora, Maria Rita entrou para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, na cidade de São Cristóvão, em Sergipe. Em 15 de agosto de 1934, aos 20 anos de idade, foi ordenada freira, recebendo o nome de Irmã Dulce, em homenagem à sua mãe.
Sua primeira missão como freira foi ensinar em um colégio mantido pela sua congregação, na Cidade Baixa, em Salvador, região onde também dava assistência às comunidades pobres e onde viria a concentrar as principais atividades das Obras Sociais Irmã Dulce.
Em 1936, ela fundou a União Operária São Francisco. No ano seguinte, junto com Frei Hildebrando Kruthaup, abriu o Círculo Operário da Bahia, mantido com a arrecadação de três cinemas que ambos haviam construído através de doações. Em maio de 1939, irmã Dulce inaugurou o Colégio Santo Antônio, voltado para os operários e seus filhos.
No mesmo ano, por necessidade, Irmã Dulce invadiu cinco casas na Ilha dos Ratos, para abrigar doentes que recolhia nas ruas. Mas foi expulsa do lugar e teve que peregrinar durante uma década, instalando os doentes em vários lugares, até transformar em albergue o galinheiro do Convento Santo Antônio, que mais tarde deu origem ao Hospital Santo Antônio, centro de um complexo médico, social e educacional que continua atendendo aos pobres.
Considerada um "Anjo bom" pelo povo baiano, recebeu também o apoio de pessoas de outros estados brasileiros e de personalidades internacionais. Mesmo com a saúde frágil, ela construiu e manteve uma das maiores e mais respeitadas instituições filantrópicas do país.
Em 1988, irmã Dulce foi indicada pelo então presidente José Sarney, com o apoio da rainha Silvia da Suécia, para o Prêmio Nobel da Paz. Oito anos antes, no dia 7 de julho de 1980, Irmã Dulce ouviu do Papa João Paulo 2o, na sua primeira visita ao país, o incentivo para prosseguir com a sua obra.

Os dois voltariam a se encontrar em 20 de outubro de 1991, na segunda visita do Papa ao Brasil, quando João Paulo 2o fez questão de ir ao Convento Santo Antônio visitar Irmã Dulce, já bastante enferma. Cinco meses depois, no dia 13 de março de 1992, Irmã Dulce morreu, pouco antes de completar 78 anos. No ano 2000 foi distinguida pelo papa João Paulo 2o com o título de Serva de Deus. O processo de beatificação de irmã Dulce está tramitando na Congregação das Causas dos Santos do Vaticano.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

SURF E YOGA, uma combinação perfeita.


Não é raro encontrar pessoas que elevam o surf ou o Yoga, ou ainda os dois juntos, de hobby ou estilo de vida.Surfistas e yogis como Teco Padaratz,Guga Arruda,Gerry Lopez,Mark Cunningham e Tom Carrol beneficiam-se da combinação das duas práticas.
O Yoga tem,em muitos aspectos, uma forte ligação com o surf.
No campo mais prático, os principais benefícios físicos para surfistas que praticam Yoga são o aumento da flexibilidade criando força, consciência corporal e maior concentração.Isso possibilita ao surfista a superar seus limites com consciência e uma clareza mental que o deixa mais confortável em situações extremas, realmente doloridas e exigentes.
O sal purifica a alma e o corpo por ter efeitos laxantes quando ingerido.E falta de ar embaixo d'agua limpa os pulmões e purifica o sangue quando o ar fresco é respirado.E quando o surfista encontra o Yoga, conhece paciência,concentração,elasticidade,maior humildade e menos preconceito.
Com tantos benefícios,é fácil esquecer que, como todo esportista, o surfista sente dor.Segundo o Dr. Joel Steinam,autor do livro Surf e Saúde,numa sessão regular de surf, o surfista passa de 40 a 50% do tempo remando e de 5 a 10% pegando ondas. A postura da remada hiperestende a lombar e a cervical. O surf desidrata os discos intravertebrais e pode originar a hernia de disco.É o caso do surfista Teco Padaratz,ele tem hérnias de disco na lombar e na cervical. Em 98, Teco mergulhou de cabeça no mundo do Yoga,depois de um ano de prática diária foi campeão mundial do WQS,e em 2000 foi o décimo no ranking do WTC.
Segundo Teco, entre os benefícios , Yoga ajuda o surfista a corrigir vícios de postura  de remada e a compensar o abuso da musculatura pela longa permanência nessa postura.
Outro abuso físico dos surfistas ocorre nos ombros (nas remadas) e nos joelhos (nas manobras). Porém, o maior perigo que essas duas articulações correm durante a prática de surf são as lesões traumáticas,como um estiramento.Diferente da dor na lombar causada pela longa permanência numa mesma postura,que exige muito da musculatura.
Também na prevenção desse tipo de lesão o Yoga pode ser benéfico. A melhor maneira de previnir lesão é manter toda musculatura saudável. Entenda por saudável a musculatura que é alongada suficiente para não sobrecarregar as articulações em um longo espaço de tempo e forte o suficiente para não fadigar em curto espao de tempo. Na troca de benefícios entre uma atividade e outra, um estudo sobre problemas causados com a prática do surf, em que 805 surfistas entre 920 apontaram dores nas coluna (28,5%),dores na cervical (27,3%), e na articulação dos ombros (20,5%).
A prática regular do Yoga ajuda a balancear o físico. A prática regular do surfista deve conter posturas que ajudem nos problemas mais comuns. O Yoga faz com que o corpo e a mente trabalhem juntos com precisão. O Yoga ensina o surfista a ter respostas rápidas por meio de uma postura física e mental alerta e ao mesmo tempo relaxada, como num ásana(postura),que deve ser simultaneamente firme e confortável. Os trabalhos respiratórios (paranayamas) também podem ajudar muito os surfistas,principalmente nos inevitáveis caldos.O aumento da capacidade pulmonar faz com que o surfista retenha o ar por mais tempo.
Apesar dos benefícios físicos de uma prática regular de Yoga, os surfistas que a praticam, concordam que o maior presente do Yoga ao surfista é o autoconhecimento. Por meio dele o surfista adquire confiança. No surf profissional, o estado psicológico e emocional é tão importante quanto o estado físico. O grande problema é lidar com vitória/derrota, medo e insegurança.
Teco diz que o Yoga também o ajudou a controlar uma situação de nervoso,em um campeonato enquanto esperava a onda, repetia o mantra OM para me acalmar,controlar a ansiedade e os batimentos cardíacos.
O Yoga também ajuda a não entrar em pânico.
A dica em situações de perigo é respirar fundo. Isso traz clareza nas decisões. E no dia-a-dia, aplicar o aprendizado do Yoga com disciplina e humildade.
A combinação Yoga e Surf ajuda a ver o mundo com mais respeito.
Há outras atividades físicas, como  o pilates ou treinamento funcional, que podem ser tão boas, ou até mais eficientes para a prática de cross-training do surfista. Mas o Yoga garante benefícios além: você se conecta com as necessidades do seu corpo, conhece seus limites e começa a descobrir o que é ou não bom para você.

O Surf é  tradição de reis, o Yoga é tradição de sábios. Surf é arte, Yoga é arte, eles se encontram e se contemplam!

quarta-feira, 18 de maio de 2011

SO HAM ,o som da sua respiração tem todo um significado.Pratique!


Sua respiração repete So-ham, So-ham, 21.600 vezes por dia. É necessário desenvolver uma consciência daquilo que a respiração está dizendo. ‘So’ quer dizer ‘Ele’- Deus ou o Poder Interno presente em tudo. ‘Ham’ significa ‘Eu’. Desse modo, a cada respiração, você está afirmando: ‘So-ham’, ‘Ele-Eu’ (Deus eu sou) ,não apenas você, mas todos os seres afirmam isso. Quando você observa sua respiração, o ‘Eu’ e o ‘Ele’ se misturam e não haverá mais dois, pois ‘So’ se reduzirá a ‘O’ e ‘Ham’ a ‘M’, ou seja, ‘Om’ (ou Pranava).

Excelente para trabalhar a respiração,esse mantra,ou afirmação já é a própria respiração.
Para praticar: sente-se confortavelmente, de preferencia em sukásana (sentado como índio),coluna ereta e relaxada,e inspire mentalizando So,expire mentalizando Ham.Faça respiração baixa ou abdominal,inspira barriga infla, expira barriga murcha,como um balão de aniversário,delicada e suavemente,com o foco na afirmação SO HAM. Pratique,traz calma,tranquilidade e concentração. 

SESC VILA MARIANA APRESENTA: MUDRA – MOSTRA CULTURAL DA ÍNDIA


De 24 a 29 de maio, o Teatro do SESC Vila Mariana recebe a maior mostra cultural da Índia já realizada no Brasil, MUDRA. Realizado em parceria com a Embaixada da Índia, o evento inclui espetáculos de música e dança, mostrando o encontro entre a Índia milenar e a contemporânea.
Na programação estão artistas de reconhecimento internacional e inédito no Brasil, como o consagrado mestre do violino indiano L. Subramaniam e seu grupo musical que vêm ao País pela primeira vez. O evento faz parte do programa de cooperação cultural firmado entre os governos da Índia e do Brasil e está sendo realizado pela Embaixada da Índia no Brasil. A coordenação é da Tantri Arte e Cultura, que trabalha pelo intercâmbio cultural entre ambos os países.
MUDRA – Mostra Cultural da Índia faz parte do programa de cooperação cultural entre a Índia e o Brasil, sabendo-se da importância do papel da cultura na aproximação de ambas as nações em suas diversas áreas de interesse. Além dos shows, ao longo da Mostra todos os artistas envolvidos na programação farão workshops gratuitos no SESC Vila Mariana.
Mudra é uma palavra do sânscrito que significa expressão ou gestos comunicativos. Os gestos ou mudras são utilizados pela dança indiana. Os dançarinos usam os mudras como uma linguagem gestual para comunicar determinados estados de consciência, elementos da natureza e da vida humana, como animais, flores, sol, lua, entre tantos outros.
MUDRA – MOSTRA CULTURAL DA ÍNDIA
Dias 24, 25, 26, 27, 28 e 29 de maio de 2011
Terça a sábado, às 21h, e domingo, às 18h.
Ingressos à venda pelo sistema INGRESSOSESC a partir do dia 01/05.
R$ 24,00 (inteira); R$ 12,00 (usuário inscrito no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino); R$ 6,00 (comerciários e trabalhadores em empresas do comércio de bens, serviços e turismo)
TEATRO (608 lugares).

Acesso para pessoas com deficiências

Classificação Livre.
Estacionamento: a partir de R$ 3,00
SESC Vila Mariana
Rua Pelotas, 141

Informações: 5080-3000

0800-118220
www.sescsp.org.br
Assessoria de Imprensa:
Igor Cruz
(11) 5080-3044


segunda-feira, 16 de maio de 2011

ACALME-SE, COM RESPIRAÇÃO POLARIZADA

 

A respiração Polarizada

Essa respiração, como o próprio nome indica, diz respeito ao masculino e ao feminino e, por isso, os homens devem iniciá-la e terminá-la pela narina direita e as mulheres, pela esquerda.


-Para iniciar a respiração masculina, use sua mão direita; tape a narina esquerda com os dedos anular e mínimo da mão direita; os dedos médios e indicador ficam dobrados, encostando-se à palma da mão e o polegar fica esticado.
-Inspire o ar pela narina direita, pressione-a com o polegar e segure o ar pelo tempo que lhe for confortável; afaste os dedos anular e mínimo da narina esquerda para que você possa soltar vagarosamente todo o ar através dela. Imediatamente, inspire pela narina esquerda, tape-a com os dedos mínimos e anular e retenha o ar nos pulmões pelo mesmo tempo do ciclo anterior; afaste o polegar da narina direita e deixe o ar sair lentamente através dela.
-Toda essa seqüência é uma respiração: inspira pela direita, retém tapando as duas narinas, solta pela esquerda, inspira pela esquerda, retém tapando as duas narinas, solta pela direita.
-A respiração feminina é exatamente o oposto: usa-se também a mão direita, mas dá-se início inspirando pela narina esquerda, retém tapando as duas narinas, solta pela direita, inspira pela direita, retém tapando as duas narinas, solta pela esquerda, completando uma respiração.

Este Pranayama é utilizado para purificar e tonificar os NADIS (meridianos), os Chakras superiores e reequilibrar todo o organismo; ele promove um grande efeito restaurador e equilibrador do corpo e da mente. Procure praticá-lo observando os tempos de inspiração, retenção e exalação e, se possível, faça-o na proporção 1:3:3:!:3:3.
A Polarizada é um Pranayama altamente recomendado para quando se está estressado, ameaçado por enfermidades, quedas de energia, inquietação, insônia etc.
Segundo a tradição, quando as correntes energéticas se descompensam, a alternância das energias que ocorre através das narinas (é por isso que temos dois orifícios no nariz) fica alterada e passamos a respirar mais tempo por uma ou outra narina. Isso provoca um acúmulo energético que pode nos desequilibrar e fazer baixar o nosso sistema imunológico. Por exemplo: uma pessoa melancólica que respire demasiadamente pela narina esquerda, pode ter o sintoma aumentado a ponto de entrar em uma depressão profunda; já um indivíduo nervoso que respire mais pela narina direita, terá potencializada a sua agressividade, podendo até  tornar-se violento.
Logicamente tudo isso, quando ocorre, é de maneira sutil e está intimamente ligado a fatores físicos, mentais e até espirituais. Pessoas com depressão profunda ou violentamente agressivas podem ser momentaneamente auxiliadas pela prática do Pranayama, mas este não é suficiente como forma de cura. Nesses casos, deve-se procurar ajuda na terapia médica e psicológica sempre.
Faça 10 vezes esta respiração é só repita 40 ou 50 minutos depois, sempre devagar e nayuralmente sem superinspirar.

O QUE É QUALIDADE DE VIDA?


O termo qualidade de vida, de fato, tem sido muito utilizado ultimamente, mas não há consenso sobre sua definição.É importante lembrar que a qualidade de vida tem algo de subjetivo, ou seja, próprio de pessoa para pessoa.Qualidade de vida é quase um chavão hoje. Nos textos e nas conversas, ela aparece como afirmação que dispensa explicações:quem escreve ou fala tem a certeza de que quem lê ou ouve sabe do que se está falando. Acontece, porém, que quem lê ou ouve pode estar pensando em coisas totalmente diferentes.
Muitos são os fatores que influenciam na qualidade de vida e os mais importantes dependem de cada um de nós, da nossa visão do ideal, da nossa herança familiar e cultural, da fase da vida em que estamos, da nossa expectativa em relação ao futuro, das nossas possibilidades, do ambiente, da visão que temos do mundo e da vida, dos nossos relacionamentos, etc.É claro que existem certas condições básicas, como:ter o que comer, morar, saúde, liberdade de escolha... Quando elas não existem, tornam-se prioridade número um e não há muito o que discutir.O ser humano, infelizmente, não raro vive em um constante mal-viver. Em outras palavras, pode-se afirmar que ele não tem, ou tem poucos momentos de felicidade e prazer. Isso faz com que se tenha também maior suscetibilidade às doenças.Sobre esta questão nunca é repetitivo demais dizer que ter quantidade de vida é importante, mas é diferente de ter qualidade de vida.


A qualidade de vida do ser humano, no sentido amplo da expressão, somente é compreendida se for captada nas suas múltiplas dimensões, como a vida no trabalho, a vida familiar e a vida na sociedade, a espiritualidade, enfim, em toda a vida.
O interesse em conceitos como “padrão de vida” e “qualidade de vida” foi inicialmente mais de interesse de cientistas sociais, filósofos e políticos, pois estava muito ligado à diminuição da mortalidade ou ao aumento da expectativa de vida. Posteriormente, foram-se acrescentando outros parâmetros.
O Grupo de Qualidade de Vida da divisão de Saúde Mental da Organização Mundial da Saúde, por exemplo, definiu qualidade de vida como “a percepção do indivíduo de sua posição na vida no contexto da cultura e sistema de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.
O mesmo Grupo enumerou algumas características importantes para a avaliação da qualidade de vida. Vejamos: Percebe-se, por estas características, que qualidade de vida envolve um conjunto de fatores que devem existir para uma vida melhor. Isso quer dizer que a qualidade de vida passa pela necessária mudança de comportamento, vivência de valores, crescimento profissional e humano, disciplina e respeito, cuidados com os ambientes, atenção à saúde, vivência de uma espiritualidade...Vivemos no mesmo espaço e nossas vidas constituem-se de trocas cotidianas. Como seres sociais, queremos e precisamos do auxílio de outras pessoas no processo de construção da vida particular e grupal, etc.
E sendo a liberdade uma das características no processo felicidade/qualidade de vida, como posso ter qualidade de vida se necessito conciliar e integrar a minha vida com a vida de outras pessoas? Leonardo Boff, falando sobre este dilema, afirma que a característica principal dessa integração é a cultura da solidariedade, que envolve:
• Valores: gratuidade, reciprocidade, cooperação, compaixão, respeito à diversidade, complementaridade, comunidade, amor.
•Princípios: autogestão, respeito à diversidade / complexidade, convivência solidária com a natureza e cuidado com o meio-ambiente, democracia, descentralização / desconcentração do poder, das riquezas, dos bens...
• No novo projeto de desenvolvimento deve haver, portanto: primazia do trabalho sobre o capital, economia a serviço do social, tecnologia que não agrave o desemprego e a poluição da natureza, etc. Nesta perspectiva, toda a qualidade individual é, de certa forma, uma qualidade coletiva.Uma das questões centrais da reflexão sobre qualidade de vida está no trabalho, que deveria ser fonte de prazer e satisfação: o prazer no processo, o prazer em ver o trabalho pronto e o prazer que o produto final propicia às pessoas.No entanto, não é esta a racionalidade presente nas organizações e instituições. A lógica predominante é a dos negócios, sustentada pela defesa das leis do mercado.A qualidade de vida não está à venda como se fosse um item da moda ou de um supermercado, também não a conseguimos adquirir de um dia para o outro.A verdade é que, considerando a máxima que “a única coisa permanente é o constante processo de mudanças”, precisamos estar sempre nos reposicionando e perguntando:
Estou sendo feliz no que faço (trabalho, lazer, vida familiar, etc.)?
Meus objetivos/planos/metas ainda são válidos para as atuais condições?
Do que tenho aberto mão em função das atuais opções?
O que estou fazendo para que outras pessoas também tenham mais qualidade de vida?
O que posso fazer para ser mais feliz na diversas dimensões da vida?
Estes questionamentos, obviamente, não devem tornar-se um “pesadelo”, mas parte natural de um constante processo de desenvolvimento humano, fazendo da vida algo muito sagrado. A qualidade de vida é uma busca pessoal e social. Busca que deve ser constantemente reavaliada e reajustada.
A questão central é que precisamos fazer alguma coisa, “não deixar para amanhã tudo aquilo que gostaria de fazer, posso fazer e tenho condições de fazer hoje”. Temos a tendência de achar que viveremos eternamente e que, portanto, podemos adiar, mesmo as coisas boas. Não adiemos as coisas boas. Qualidade de vida tem algo de “aqui e agora”, e algo que poderíamos chamar de “planejar o futuro”.Ou seja viver bem, ter qualidade de vida,depende muito de nós mesmos,da nossa consciência,de saber diferenciar ser de estar e de ter! Pois aqui também vale a máxima e batida "Qualidade nem sempre é quantidade!".
A vida é uma só,passa rápido,e por isso devemos todos os dias nos perguntar: tenho qualidade de vida?
E para isso temos que saber o que para cada um de nós individualmente é qualidade.
Qualidade é algo que define algo bom,porém,sabemos se temos qualidade de vida,quando,ao nos perguntarmos todos os dias :tenho qualidade de vida?,a rseposta for: estou tendo uma vida boa e satisfatória em todos os âmbitos!

domingo, 15 de maio de 2011

KARMAPOP É POP!





Para quem gosta da India,das curiosidades,gosta de boas fotos,esse é um livro pop,moderno,gostoso,diria irresistível,Arthur Veríssimo mostra a India de forma alegre,colorida,cultural e irreverente.Vale a pena!

O jornalista Arthur Veríssimo lança seu primeiro livro, "KarmaPop", pela Editora Master Books. A publicação reúne textos do autor e suas fotografias tiradas na Índia ao longo de 20 anos. Nesse período, ele fez 17 viagens para o país asiático e aprofundou seus conhecimentos da cultura local. Veríssimo participou de diversos festivais e circulou entre saddhus (monges), sikhs (minoria religiosa indiana), gurus e discípulos dos deuses Shiva, Vishnu, Hanuman, Ganesh, Parvati, Krishna, Durga. Ele registrou detalhes do caleidoscópio indiano e mergulhou na nascente do Rio Ganges.O livro propõe conhecer a inusitada paisagem cultural e geográfica da Índia pela escrita e pelas lentes da câmera fotográfica do autor em grandes eventos e peregrinações. Veríssimo mantém sua característica de jornalista gonzo para explicar textualmente e realizar um recorte visual do Festival Khumba Mela, do Festival do Deus Ganesh, da arte marcial kushti e da sagrada rota do Charm Dam realizada na região do Himalaia.
Arthur esteve em cinco Khumb Mela, festival religioso que ocorre em quatro cidades indianas (Allahabad, Ujjain, Hardiwar e Nassik), e registrou imagens em multidões de até 80 milhões de pessoas. No meio dessa aglomeração, o jornalista interage com os peregrinos e registra paisagens e cenas pitorescas para ocidentais, mas cotidianas para os indianos.

Entre as situações inusitadas está o Shaiva (discípulo de Shiva) que enrola seu órgão genital com uma espada. Há ainda o peregrino devoto de Hanuman (deus macaco) que leva uma faca cravada em seu antebraço. A renúncia como demonstração de fé aparece em diversos momentos, seja o saddhu que fez voto de castidade, seja naquele que não se deita há cinco anos. Veríssimo explora e explica essas peculiaridades por meio da sua obra.
Fica também a dica,do DVD duplo India Exótica,reúne imagens muito legais das mesmas viagens com a narração do próprio Arthur,o que vale muito a pena!

sábado, 14 de maio de 2011

EU E O YOGA.O QUE PROCURAMOS ESTÀ DENTRO DE NÓS



A anos atrás,eu nunca podia sequer imaginar,que um dia estaria recitando mantras,fazendo posturas de Yoga,frequentando ashrans,e que me tornaria professora de Yoga,especialista em cultura e filosofias da India,e que iria ajudar as pessoas com seus problemas emocionais,físicos e espirituais, mesmo porque eu mesma tinha no mínimo,uma dezena desses problemas.
Passei praticamente 30 anos da minha vida procurando por algo, que achava estar nos outros, nos bens materiais,nos amores,nas afirmativas da minha mãe,na aceitação das pessoas que eu amava,em conquistas que os outros achavam importantes, e por isso cada coisa era uma derrota,eu não terminava nada do que começava,largava os estudos toda hora,porque eu sempre estava fazendo coisas para agradar os outros,para que fosse aceita,achava que tudo que eu fizesse não seria bom o bastante... Grande erro!
Ganhei com isso,falta de saúde física e mental,uma "quase eterna" insatisfação com a vida, e com tudo que eu era, comigo, com os outros,com o mundo...
Mal sabia eu que era mais fácil do que eu pensava mudar tudo isso, pois o que eu era,o que eu queria,desejava,estava dentro de mim,sempre esteve.
Um conjunto de coisas me fez encontrar isso lá dentro de mim:a própria insatisfação e a tristeza de não entender o que e quem eu era, o que eu queria, isso me levou a procurar caminhos: médicos,psicóloga,remédios sim, por que estava em um estágio que não dava mais,espiritualidade,otimismo,FÉ,coragem,muita leitura,pesquisas,informação,e o Yoga,e... respirar!!!Ah como foi bom aprender a respirar!
Nessas descobertas ,me conheci, de verdade, eu me aceitei,descobri que detestava marketing, e amava a área de saúde,deixei aflorar meu lado "zen",sem vergonha de nada,sem me preocupar com o comentário irônico dos outros,e o melhor descobri que fazendo o que eu amava, ajudando pessoas, eu estaria no fundo, me ajudando muito mais,mesmo por que só nos amando e nos ajudando, podemos fazer o mesmo pelos outros.
Pois bem,prestem bem atenção:quase tudo que passamos uma vida inteira procurando, geralmente está do nosso lado, ou até dentro de nós o tempo todo,por isso preste atenção em sí mesmo, se você não se amar não pode amar o próximo,se não se ajudar não pode ajudar ninguém,se não sabe quem é ,mal saberá o que fazer!

sexta-feira, 13 de maio de 2011

PRESENÇA DA RELIGIÃO EM TODA A CULTURA HUMANA




religião - s. f. (do lat. religio, -onis.)
1. Crença na existência de um poder superior, do qual o homem depende. (...)
2. Sistema estruturado de doutrinas, crenças, regras e práticas de uma determinada comunidade de pessoas que instituem um determinado tipo de relação com um poder superior, sobre-humano. (...)
3. Culto prestado à divindade. (...)

Agora procuremos a origem etimológica da palavra. Para a maioria dos autores, "religião" deriva do latim "re-ligare", que significa, precisamente, "religar": religar entidades que se encontram afastadas, nomeadamente o homem e a divindade.

Não há registro em qualquer estudo por parte da História, Antropologia, Sociologia ou qualquer outra "ciência" social, de um grupamento humano em qualquer época que não tenha professado algum tipo de crença religiosa. As religiões são então um fenômeno inerente a cultura humana, assim como as artes e técnicas. Grande parte de todos os movimentos humanos significativos tiveram a religião como impulsor, diversas guerras, geralmente as mais terríveis, tiveram legitimação religiosa, estruturas sociais foram definidas com base em religiões e grande parte do conhecimento científico, "filosófico" e artístico tiveram como vetores os grupos religiosos, que durante a maior parte da história da humanidade estiveram vinculados ao poder político e social. Hoje em dia, apesar de todo o avanço científico, o fenômeno religioso sobrevive e cresce, desafiando previsões que anteveram seu fim. A grande maioria da humanidade professa alguma crença religiosa direta ou indiretamente e a Religião continua a promover diversos movimentos humanos, e mantendo estatutos políticos e sociais. Tal como a Ciência, a Arte e a Filosofia, a Religião é parte integrante e inseparável da cultura humana, é muito provavelmente sempre continuará sendo. Há várias formas de religião, e são muitos os modos que vários estudiosos utilizam para classificá-las. Porém há características comuns às religiões que aparecem com maior ou menor destaque em praticamente todas as divisões.
A primeira destas características e cronológica, pois as formas religiosas predominantes evoluem através dos tempos nos sucessivos estágios culturais de qualquer sociedade. Outro modo é classificá-las de acordo com sua solidez de princípios e sua profundidade filosófica, o que irá separá-las em religiões com e sem Livros Sagrados.
Classificação que leva em conta essas duas características, e divide as religiões nos seguintes 4 grandes grupos distintos.
PANTEÍSTAS
POLITEÍSTAS
MONOTEÍSTAS
ATEÍSTAS
Nessa divisão há uma ordem cronológica. As Religiões PANTEÍSTAS são as mais antigas, dominando em sociedades menores e mais "primitivas". Tanto nos primórdios da civilização mesopotâmica, européia e asiática, quanto nas culturas das Américas, África e Oceania. Já as MONOTEÍSTAS são mais recentes, e atualmente as mais disseminadas, o Monoteísmo quantitativamente ainda domina mais de metade da humanidade.


E embora possa parecer estranho, existem religiões ATEÍSTAS, que negam a existência de um ser supremo central, embora possam admitir a existência de entidades espirituais diversas. Essas religiões geralmente surgem como um reação a um sistema religioso Monoteísta ou pelo menos Politeísta, e em muitos aspectos se confunde com o Panteísmo embora possua características exclusivas.

Essa divisão também traça uma hierarquia de rebuscamento filosófico nas religiões. As Panteístas por serem as mais antigas, não têm Livros Sagrados ou qualquer estabelecimento mais sólido do que a tradição oral, embora na atualidade o renascimento panteísta esteja mudando isso. Já as politeístas muitas vezes possuem registros de suas lendas e mitos em versão escrita, mas Nenhuma possui uma REVELAÇÃO propriamente dita. Isto é um privilégio do Monoteísmo. TODAS as grandes religiões monoteístas possuem sua Revelação Divina em forma de Livro Sagrado. As Ateístas também possuem seus livros guias, mas por não acreditarem num Deus pessoal, não tem o peso dogmático de uma revelação divina, sendo vistas em geral como tratados filosóficos.
PANTEÍSMO - As religiões primitivas são PANTEÍSTAS, acredita-se num grande "Deus-Natureza". Todos os elementos naturais são divinizados, se atribuí "inteligências" espirituais ao vento, a água, fogo, populações animais e etc.
POLITEÍSMO - Os elementos divinos são então personificados com qualidades cada vez mais humanas. O que era antes apenas a Água, um ser de essência espiritual metafísica e sagrada, agora passa a ser representada por uma entidade antropomórfica. No princípio as características dessas divindades não são muito afetadas, mas com o tempo, a imaginação humana ou a tentativa de se adequar as religiões às estruturas sociais, elas ficam cada vez mais parecidas com os seres humanos comuns, surgindo então entre os deuses relacionamentos similares aos humanos inclusive com conflitos, ciúmes, traições, romances e etc. E cada vez mais os deuses perdem características transcendentes até que a "degeneração" chegue a ponto destes se relacionarem sexualmente com seres humanos, o que significa a perda da natureza metafísica, da característica invisível, ou mais, de haver relações físicas e pessoais de violência entre humanos e divindades, sem qualquer caráter transcendente. Ocorre também uma relativa equivalência entre deidades femininas e masculinas, embora as masculinas mostrem sinais de predominância a medida que o sistema de crenças se torne mais mundano, características de uma fase mais racional e técnica onde muitas vezes a religião politeísta caminha junto com filosofias da natureza.
MONOTEÍSMO - Não é a crença em uma única divindade, mas sim a soberania absoluta de uma. A própria teologia judáico-cristã-islâmica adota hierarquias angélicas que são inclusive encarregadas de reger elementos específicos da natureza.Um elemento que caracteriza mais claramente o MONOTEÍSMO mais específico, Zoroastrista, Judáico, Cristão, Islâmico e Sikh, é antes de tudo a ausência ou escassez de representações icônicas do Deus supremo, e sua desatribuição parcial de qualidades humanas, nem sempre bem sucedida. Já as entidades secundárias são comumente retratadas artisticamente.

ATEÍSMO - As religiões Ateístas negam simplesmente a existência de um Ser Supremo central, que tudo tenha criado e a tudo controle, e talvez seja nesse grupo que se sinta mais radicalmente a ruptura entre Ocidente e Oriente, mas basicamente o Ateísmo religioso tende a funcionar da seguinte forma. Geralmente o ateu não é aquele que desacredita do "invisível", de qualquer forma de Téos, mas sim o que descrê dos deuses personificados.Afinal até o mais materialista e cético dos cientistas trabalha com forças invisíveis! Fenômenos da natureza ainda inexplicáveis. Gravitação Universal, Lei de Entropia, Mecânica Quântica e etc. não podem ser vistas! Apenas seus efeitos. Tal como sempre se alegou com relação aos deuses.

Outro ponto importante é que jamais uma dessas formas religiosas deixou de existir totalmente, principalmente na atualidade onde a intolerância religiosa não é mais "tolerada" na maior parte do mundo. Esses tipos de religiões se misturam e se confundem, o que explica porque qualquer tentativa de se classificar as religiões é tão complexa. Até mesmo essa divisão esquemática apresenta problemas, como a notável diferença entre o Monoteísmo "Ocidental", Judaísmo-Cristianismo-Islamismo, fortemente interligadas, o Monoteísmo Oriental, Hindu, Bhramanismo e Sikhismo.
O importante é que religião é só uma forma de explicar a “fé”,a crença de cada um em algo supremo,maior que sí mesmo,ou não explicável pelo o homem,seja ele visto e entendido como Deus, Natureza,Pessoa,Entidade,Deidade,Filosofia,etc. Porque no fundo o ser humano precisa de regras e “escolas”,para explicar tudo a sua volta,as religiões servem para apoiar e respaldar o desconhecido e o que não entendemos por completo sobre a vida,o universo,e sobre nós mesmos.


quarta-feira, 11 de maio de 2011

OS CHAKRAS

Os Chackras são centros energéticos onde existe uma maior concentração de Prana (energia). A palavra Chackra em sânscrito significa literalmente “roda” ou “circulo”, ou seja, os Chackras são centros energéticos, de formato circular,por isso o nome. Existem milhares de chakras pelo corpo. Sete são os principais, começando da base da coluna até o topo da cabeça e cada um corresponde a uma das sete principais glândulas do corpo humano. Cada um destes chakras está em estreita correspondência com certas funções físicas, mentais, vitais, emocionais e espirituais.São eles:
1º: Múládhára (Chakra Básico)
2º: Svadhisthana (Chakra esplênico)
3º: Manipúra (Plexo Solar)
4º: Anáhata (Cardíaco)
5º: Vishuddha (Laríngeo)
6º: Ajná (Frontal)
7ºSahasrára (Coronário)
Cada um destes Chackras está relacionado diretamente com uma glândula endócrina, com determinadas emoções ou tendências mentais especificas.
A anatomia sutil destes chackras é conhecida de forma geral no ocidente, o trabalho com os chackras – equilibrando, massageando energeticamente,ou tonificando – tem sido incorporados em diversas terapias atuais.
Os chakras são centros psíquicos que regulam a entrada e saída de energia do nosso corpo, mantendo todo nosso corpo e mente trabalhando juntos.
São pontos de ligação entre vários planos (físico, mental, emocional). Eles se abrem ou se fecham de acordo com nossos pensamentos e sentimentos. Cada sensação, sentimento, pensamento e experiência que temos estão conectados a chakras específicos.
Os Vedas (textos indianos de aproximadamente 2.000 a. C.) contêm os mais antigos registros sobre chakras de que se tem notícia. Quando foram escritos, o Yoga já sistematizava o conhecimento e o trabalho energético dos chakras.
Num corpo saudável, todos esses vórtices giram a uma grande velocidade, permitindo que o "prana" (energia) flua. Mas se um desses centros começa a diminuir a velocidade de rotação, o fluxo de energia fica inibido ou bloqueado, e disso resulta a doença.O estresse, por exemplo, pode descompensar os chakras.
Para que a mente, as emoções e o corpo físico trabalhem em perfeita harmonia, os chakras devem estar girando na freqüência correta.
O trabalho diário com as próprias energias, alinhando e balanceando os chakras traz melhorias em todos os aspectos da vida. Entre inúmeros benefícios, vitaliza o corpo físico, equilibra as emoções e traz clareza de pensamento, além de desenvolver autoconsciência.
Esse alinhamento,energização e balanceamento,podem ser feitos por meio do Yoga,da meditação,reiki,respirações apropriadas,visualização dos chakras emanando energia e as cores dos mesmos.
                                         

terça-feira, 10 de maio de 2011

ENXAQUECA, A DOR INÚTIL



Enxaqueca é uma dor de cabeça específica,toda dor serve para indicar que algo está errado com nosso corpo,ou seja,a dor é um sintoma útil, no caso da enxaqueca,a dor é a doença.Por isso muitas vezes ela é chamada de "dor inútil."
Ela é um desequilíbrio químico no cérebro, envolvendo hormônios e substâncias denominadas peptídeos. Esse desequilíbrio resulta de uma série de outros desequilíbrios neuroquímicos e hormonais, decorrentes do estilo de vida e hábitos do portador da doença enxaqueca, e também de uma predisposição genética. O resultado é uma série de sintomas, que podem ir muito além da dor de cabeça. Por sinal, existem casos de crises de enxaqueca sem, ou com  pouca dor de cabeça. Geralmente porém, a dor de cabeça é o sintoma mais dramático da enxaqueca e sua intensidade, apesar de variável, na maioria dos casos é moderada a severa.
A dor de cabeça da enxaqueca pode ser latejante (pulsátil), em peso, ou uma sensação de "pressão para fora", como se a cabeça fosse explodir.
A localização da dor de cabeça da enxaqueca pode variar de crise para crise; raramente dói sempre no mesmo lugar. A dor da enxaqueca pode ocorrer em qualquer lugar da cabeça, inclusive na região dos dentes, dos seios da face e da nuca, dando origem à confusão com problemas dentários, de sinusite e de coluna.
Os demais sintomas da enxaqueca compreendem náuseas (enjôo), vômitos, aversão à claridade, ao barulho, aos cheiros, hipersensibilidade do couro cabeludo, visão embaçada, irritabilidade, flutuações do humor, ansiedade, depressão (mesmo fora das crises) e lacrimejamento. Um indivíduo não precisa apresentar todos estes sintomas para ter enxaqueca. Normalmente apresenta alguns deles, em graus variados.
A duração de uma crise de enxaqueca é, tipicamente, de 3 horas a 3 ou 4 dias, seguida de um período variável sem nenhuma dor de cabeça.
A crise de enxaqueca pode ser precedida por uma alteração do humor (euforia em alguns casos, depressão e irritabilidade em outros) e do apetite (vontade de comer doces, ou então perda de apetite), visão embaçada, visão dupla, escurecimento da visão (cegueira parcial) de um ou ambos os olhos, e sensação de estar vendo pontos brilhantes, como se fossem vaga-lumes.
Entre outros sintomas da enxaqueca, estão incluidos diminuição da força muscular de um lado do corpo, formigamentos, tonturas, diarreia, podendo também ocorrer as manifestações visuais já descritas.
A frequência da dor de cabeça da enxaqueca é muito variável, podendo ser desde uma vez na vida, até todos os dias, e até várias vezes ao dia. A dor de cabeça da enxaqueca pode ser muito forte, a ponto de impedir o indivíduo de exercer qualque atividade, obrigando-o a ficar deitado, num quarto escuro, em silêncio, durante horas ou dias. O paciente torna-se muito irritável, preferindo ser deixado sozinho.
Boa parte das crises de enxaqueca terminam com o sono, ou então quando a pessoa vomita (principalmente as crianças). Ao fim de uma crise de enxaqueca, o paciente sente-se como que de ressaca, podendo apresentar, por mais de um dia, tolerância limitada para atividade física e mental.


Os principais desencadeantes sāo:
  1. preocupações, ansiedade, stress
  2. ficar sem comer, bebida alcoólica, excesso de café, adoçantes
  3. Período menstrual na mulher
  4. Dormir pouco, dormir muito, sono mal dormido
  5. Sol, claridade, mudancas climáticas
  6. Cigarro, poluiçāo
 Tratamentos

Não há tratamento eficaz para enxaqueca,pois ela ainda não tem cura,mas existem muitos paliativos.
O maior cuidado que devemos tomar é com remédios.Pessoas com crises intensas devem em primeiro lugar procurar um médico neurologista,descobrir se realmente sofre da doença e seguir suas recomendações. Porém muitas coisas podem ajudar.
-Nunca tome  remédios quando a dor já estiver instalada,quando a dor já existe a digestão fica em suspenso,e o remédio não é digerido,por isso dizemos: esse remédio não faz efeito.
-Não se auto medique,além dos perigos já conhecidos dea automedicação,nas dores de cabeça pode haver o "efeito rebote",as pessoas tomam tanto analgésicos que o próprio remédio acaba causando a dor,e não fazendo mais efeito.
-Lembre-se: o remédio que é bom para mim,pode não ser bom pra você e vice-versa.Vá ao médico!
-Acumpuntura tem sido um dos tratamentos mais eficazes para enxaqueca.
-Massagens com profissionais habilitados também tendem a ajudar.
-Alguns chás podem ajudar:  boldo,lavanda,gengibre.
-Mascar gengibre in natura é tiro e queda.
-Compressas nunca de água quente,dores de cabeça pedem compressas frias a geladas,pois diminuem o calibre dos vasos sanguineos,fazendo aliviar a dor,o contrário também acontece,água quente aumenta o calibre dos vasos,fazendo a dor piorar.
-Cuide da alimentação,quem sofre de enxaqueca deve evitar,alcool,vinhos,queijos fortes,chocolates,embutidos,molho a base de soja e muito sal e conservantes.
-Pratique exercícios físicos,mas não no meio de uma crise.Yoga,pilates alongamentos são os mais indicados.
-Por último o mais difícil,procure não se estressar,e tenha paciência e descanse na hora da crise,ela vai passar dentro de horas ou de 3 ,4 dias,caso isso não aconteça e a dor persistir por mais de uma semana sem ceder,procure um médico.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

RESPIRAÇÃO:TOME O CONTROLE!



O objetivo básico do controle da respiração é o de transformar a respiração áspera ou pesada em uma respiração mais lenta e refinada. Uma vez que o corpo esteja imóvel e que a respiração esteja controlada, a mente naturalmente se tornará mais calma. Quando falamos de "controlar" a respiração, é importante lembrar que nós a controlamos observando-a. Se tentar forçar sua respiração a se tornar calma, você apenas causará problemas. A simples observação da respiração é o melhor modo de fazê-la ficar lenta e calma.
Controlar a respiração é obter domínio sobre as emoções. A respiração pode ser usada como um calmante natural.
Respirar é viver. Respirar corretamente é viver melhor. Através dos exercícios respiratórios você aprenderá a renovar as energias, a obter vitalidade e bem estar emocional.
Uma pessoa sadia normalmente inala e exala ar 16 a 25 vezes a cada minuto. Efetua 24.480 trocas respiratórias por dia. Dormindo respira-se de 8 a 12 vezes a cada minuto.

No Yoga por exemplo, você aprende a fazer de 5 a 8 trocas respiratórias por minuto. Isso tranqüiliza o sistema nervoso.
Uma respiração completa se constitui de três fases: abdominal ou baixa, diafragmática ou torácica, e subclavicular ou alta.
Nascemos com a respiração abdominal. Observe um bebê.
No entanto, muitos perdem esta respiração espontânea ao longo da vida seja por questões posturais ,emocionais, problemas no sistema respiratório,como renites, alergias, apnéias,desvios do septo nasal,etc.
Aprender a respirar através do abdômen aumenta a sua capacidade respiratória e há melhora da saúde em geral. A respiração feita corretamente,oxigena não só os pulmões ,mas em especial o cérebro e todo o sangue, evitando o stress,a falta de memória, tonturas,dores de cabeça,etc.

Diafragma é o músculo que divide o abdômen do tórax,e por excelência, é o músculo da respiração. Numa respiração perfeita e completa, inspira-se pelo abdômen e enche-se o tórax até atingir a região subclavicular (auto do peito). A expiração é o movimento inverso: auto do peito, tórax e abdômen.

Respiração Abdominal
Para reaprender a respirar corretamente no abdômen(respiração baixa), recomenda-se que comece a praticar os exercícios deitado ou sentado. Portanto, deite-se, dobre as pernas com os pés separados e próximos das nádegas. Coloque as mãos sobre a barriga, na altura do umbigo. Inspire, sentindo a barriga subir, e expire, sentindo o abdômen descer. Como uma bexiga. Sempre pelas narinas,podendo expirar AS VEZES pela boca,inspirar pela boca,JAMAIS!!!

Se encontrar dificuldade, ponha um livro sobre o abdômen e brinque de elevar e descer o livro várias vezes. Desta forma, você estará ativando o diafragma. Depois de algum tempo, você fará este movimento sem o apoio do livro. A respiração estará correta. Quando você conseguir a espontaneidade do movimento,sua respiração será satisfatória e produzirá em você uma sensação de calma,de sossego,tranqüilidade e se sentirá bem menos cansado e estressado.

domingo, 8 de maio de 2011

MÃES

 
História do Dia da Mães

As mais antigas celebrações do Dia da Mãe remontam às comemorações primaveris da Grécia Antiga, em honra de Rhea, mulher de Cronos e Mãe dos Deuses. Em Roma, as festas comemorativas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cybele, a Mãe dos Deuses romanos, e as cerimônias em sua homenagem começaram por volta de 250 anos antes do nascimento de Cristo.
Durante o século XVII, a Inglaterra celebrava no 4º Domingo de Quaresma (40 dias antes da Páscoa) um dia chamado “Domingo da Mãe”, que pretendia homenagear todas as mães inglesas. Neste período, a maior parte da classe baixa inglesa trabalhava longe de casa e vivia com os patrões. No Domingo da Mãe, os servos tinham um dia de folga e eram encorajados a regressar a casa e passar esse dia com a sua mãe.
À medida que o Cristianismo se espalhou pela Europa passou a homenagear-se a “Igreja Mãe” – a força espiritual que lhes dava vida e os protegia do mal. Ao longo dos tempos a festa da Igreja foi-se confundindo com a celebração do Domingo da Mãe. As pessoas começaram a homenagear tanto as suas mães como a Igreja.
Nos Estados Unidos, a comemoração de um dia dedicado às mães foi sugerida pela primeira vez em 1872 por Julia Ward Howe e algumas apoiantes, que se uniram contra a crueldade da guerra e lutavam, principalmente, por um dia dedicado à paz.



A maioria das fontes é unânime acerca da idéia da criação de um Dia da Mãe. A idéia partiu de Anna Jarvis, que em 1904, quando a sua mãe morreu, chamou a atenção na igreja de Grafton para um dia especialmente dedicado a todas as mães. Três anos depois, a 10 de Maio de 1907, foi celebrado o primeiro Dia da Mãe, na igreja de Grafton, reunindo praticamente família e amigos. Nessa ocasião, a sra. Jarvis enviou para a igreja 500 cravos brancos, que deviam ser usados por todos, e que simbolizavam as virtudes da maternidade. Ao longo dos anos enviou mais de 10.000 cravos para a igreja de Grafton – encarnados para as mães ainda vivas e brancos para as já desaparecidas – e que são hoje considerados mundialmente com símbolos de pureza, força e resistência das mães.
Segundo Anna Jarvis seria objetivo deste dia tomarmos novas medidas para um pensamento mais activo sobre as nossas mães. Através de palavras, presentes, atos de afeto e de todas as maneiras possíveis deveríamos proporcionar-lhe prazer e trazer felicidade ao seu coração todos os dias, mantendo sempre na lembrança o Dia da Mãe.Face à aceitação geral, a sra. Jarvis e os seus apoiantes começaram a escrever a pessoas influentes, como ministros, homens de negócios e políticos com o intuito de estabelecer um Dia da Mãe a nível nacional, o que daria às mães o justo estatuto de suporte da família e da nação.
A campanha foi de tal forma bem sucedida que em 1911 era celebrado em praticamente todos os estados. Em 1914, o Presidente Woodrow Wilson declarou oficialmente e a nível nacional o 2º Domingo de Maio como o Dia da Mãe.
Hoje em dia, muitos de nós celebram o Dia da Mãe com pouco conhecimento de como tudo começou. No entanto, podemos identificar-nos com o respeito, o amor e a honra demonstrados por Anna Jarvis há 96 anos atrás.Apesar de ter passado quase um século, o amor que foi oficialmente reconhecido em 1907 é o mesmo amor que é celebrado hoje e, à nossa maneira, podemos fazer deste um dia muito especial.
E é o que fazem praticamente todos os países, apesar de cada um escolher diferentes datas ao longo do ano para homenagear aquela que nos põe no mundo.
Em Portugal, até há alguns anos atrás, o dia da mãe era comemorado a 8 de Dezembro, mas atualmente o Dia da Mãe é no 1º Domingo de Maio, em homenagem a Maria, Mãe de Crist.
No Brasil a  introdução desta data se deu no RIO GRANDE DO SUL, em 12 de maio de 1918, por iniciativa de EULA K. LONG, em SÃO PAULO, a primeira comemoração se deu em 1921.
A oficialização se deu por decreto no Governo Provisório de Getúlio Vargas, que em 5 de maio de 1932, assinou o decreto nº 21.366.
Em 1947, a data foi incluída no calendário oficial da Igreja Católica por determinação do Cardeal Arcebispo do Rio, Dom Jaime de Barros Câmara.




 
Às Mães
- às Mães que apesar das canseiras, dores e trabalhos, sorriem e riem, felizes, com os filhos amados ao peito, ao colo ou em seu redor; e às que choram, doridas e inconsoláveis, a sua perda física, ou os vêem “perder-se” nos perigos inúmeros da sociedade violenta e desumana em que vivemos;
- às Mães ainda meninas, e às menos jovens, que contra ventos e marés, ultrapassando dificuldades de toda a ordem, têm a valentia de assumir uma gravidez - talvez inoportuna e indesejada – por saberem que a Vida é sempre um Bem Maior e um Dom que não se discute e, muito menos, quando se trata de um filho seu, pequeno ser frágil e indefeso que lhe foi confiado;
- às Mães que souberam sacrificar uma talvez brilhante carreira profissional, para darem prioridade à maternidade e à educação dos seus filhos e às que, quantas vezes precisamente por amor aos filhos, souberam ser firmes e educadoras, dizendo um “não” oportuno e salvador a muitos dos caprichos dos seus filhos adolescentes;
- às Mães precocemente envelhecidas, gastas e doentes, tantas vezes esquecidas de si mesmas e que hoje se sentem mais tristes e magoadas, talvez por não terem um filho que se lembre delas, de as abraçar e beijar...;
- às Mães solitárias, paradas no tempo, não visitadas, não desejadas, e hoje abandonadas num qualquer quarto, num qualquer lar, na cidade ou no campo, e que talvez não tenham hoje, nem uma pessoa amiga que lhes leia ao menos uma carta dum filho...;
- também às Mães que não tendo dado à luz fisicamente, são Mães pelo coração e pelo espírito, pela generosidade e abnegação, para tantos que por mil razões não tiveram outra Mãe...e finalmente, também às Mães queridíssimas que já partiram deste mundo e que por certo repousam já num céu merecido e conquistado a pulso e sacrifício...
A todas as Mães, a todas sem excepção, um Abraço e um Beijo cheios de simpatia e de ternura! E Parabéns, mesmo que ninguém mais vos felicite! E Obrigado, mesmo que ninguém mais vos agradeça!
 

 
      
Obrigado , Senhor , pela mãe que você me deu ...
... por todas as Mães do mundo
... pelas mães brancas , de pele alvinha ...
... pelas pardas , morenas ou bem pretinhas ...
... pelas ricas e pelas pobrezinhas ...
... pelas mães - titias , pelas mães -vovós , pelas madrastas -mães ,
... pelas professoras - mães ...
... pela mãe que embala ao colo o filho que não é seu ...
... pela saudade querida da mãe que já partiu ...
... pelo amor latente em todas as mulheres , que
desperta ao sentir desabrochar em si uma nova vida ...
... pelo amor , maravilhoso amor que une mães e filhos ...
Eu lhe agradeço , Senhor !

segunda-feira, 2 de maio de 2011

EXPOSIÇÃO CORES DA INDIA

Mostra retrata as cores, os tecidos e, sobretudo, os contrastes daquele país. A entrada é franca
De 2 a 16 de maio, o Sesi Vila Leopoldina apresenta a exposição Cores da Índia, do fotógrafo Igor Oliveira. A visitação é aberta gratuitamente ao público, de segunda-feira a sábado, das 7h às 20h; e sábado, das 8h às 17h, exceto feriados.

Dezesseis fotos coloridas compõem a exposição, que exalta não somente a perfeita relação entre os contrastes das cores das roupas e das sedas, das pedras preciosas esculpidas em magníficos templos, como estimula a reflexão sobre a relação de harmonia existente dentro de tantos contrastes culturais, sociais e religiosos.

Igor Oliveira viveu por quatro meses na Índia, um dos países mais místicos do planeta. E conta: “Esse local nos leva a um mundo de experiências, cores e sabores, sugerindo uma profunda reflexão sobre os nossos valores pessoais e sociais”.

A exposição aguça os sentidos por meio de belas imagens, rostos com expressões intrigantes que trazem momentos de introspecção e conforto a alma, enormes templos erguidos em pedras, que acabam por ganhar contrastes e beleza por intermédio das mãos de artesãos.

De acordo com o fotógrafo, as peculiaridades do estilo de vida indiano oferecem uma nova dimensão, a percepção do conceito sobre o novo, libertando de pré-julgamentos e preconceitos a que constantemente as pessoas estão submetidas: “Viajar por estas imagens é ao mesmo tempo percorrer a história de um lugar novo e desconhecido e permitir-se reavaliar os valores culturais que acreditamos e praticamos”, ele reflete.

Local: Sesi Vila Leopoldina – Rua Carlos Weber, 835 – Vila Leopoldina
Datas e horários: de 2 a 16 de maio – de segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 20h; e sábado, das 8h às 17h, exceto feriados.
Informações: (11) 3834-3458 - (11) 3834-3458      Entrada: franca

Seguidores